O dia 19 de abril, muito longe de comemoração é dia de reconhecimento e respeito e neste momento, de repúdio às violências sistemáticas e com a participação ou leniência do Estado que todos os “indígenas” são submetidos.

Nossos povos originários sofre hoje violência institucional e de atividades econômicas como o agronegócio, garimpo e manejo criminoso da floresta,  nós da AEPET-BA, prestamos nossa solidariedade aos nossos povos originários, reconhecemos seu protagonismo na luta pelo seus direitos e pela proteção da floresta e nos colocamos a disposição de suas lutas para juntos construirmos uma sociedade justa onde cada povo, dos muitos povos que abitam nosso país sejam tratados com respeito à sua dignidade, sua cultura, seu modo de vida. Mais que nunca o planeta precisa dos nossos povos ancestrais para impedir o colapso ambiental e como nunca precisamos lutar pelo direito de todos viverem conforme suas crenças, seus valores, costumes.

O dia 19 de abril não é o dia do índio, deveria ser o dia dos não índios pedirem desculpas pelo genocídio de ontem e de hoje e nos irmanarmos aos povos originários do Brasil e de todos os povos invadidos do mundo para exigir respeito e proteção a estes povos, punição para os que comentem crimes contra eles, todos os dias são dias de lutarmos pelo direito de nossos povos originais.

“Se as pessoas não tiverem vínculos profundos com sua memória ancestral, com as referências que dão sustentação a uma identidade, vão ficar loucas neste mundo maluco que compartilhamos.” Ailton Krenak