A venda da Refinaria de Manaus (Reman) é o tema do artigo do diretor da AEPET-BA, Marival Matos. A Reman foi vendida pela Petrobrás à Atem Distribuidora, no último dia 25/08. No artigo, nas páginas iniciais, antes mesmo de falar sobre a Reman, Matos explica como se deu, no Brasil, o processo de privatização das estatais, a partir do governo neoliberal do ex-presidente Fernando Collor.

Segundo o aposentado da Petrobrás, no governo de Fernando Henrique Cardoso, “foi, por um triz, que a PETROBRAS escapou de ser também privatizada, mas agora vem sendo vendida aos poucos pelo desgoverno Bolsonarista”.

Para ele, a venda das oito refinarias, no  comando de Jair Bolsonaro, é  um golpe contra a própria empresa, gerando prejuízos ao povo brasileiro pela substituição de um monopólio estatal por um monopólio privado e com implicações diretas de desabastecimento interno, continuidade da elevação dos preços ao consumidor final, além de considerável perda de mercado o qual, de acordo com a Constituição Federal, em princípio, é inalienável porque integra o patrimônio nacional.

Por isso, conclama o povo brasileiro para abrir os olhos, pois o governo Bolsonaro vai entregar o caixa da nação (Tesouro Nacional, Banco do Brasil, Caixa Econômica, BACEN e BNDES) para o Bank of America ou para outro representante das finanças internacionais.

Leia aqui o artigo de Marival Matos

Venda da Refinaria de Manaus – REMAN – Lá vem o Brasil descendo a ladeira