A diretoria da Associação dos Engenheiros da Petrobrás, Núcleo Bahia (AEPET-BA) convoca os associados, amigos e a categoria petroleira, e seus familiares, a irem às ruas, no dia 2 de outubro em defesa da democracia e da soberania nacional. Em Salvador, o protesto acontecerá na praça do Campo Grande, a partir das 09h. Levem seu cartaz, usem máscara e álcool gel. 

Vamos levar nossas bandeiras de luta: contra a privatização da Petrobrás, contra a saída da Petrobrás da Bahia e contra a PPI (Política de Preço de Paridade de Importação).  

Este ano, no dia 03 de outubro, a Petrobrás completará 68 anos, mas não teremos motivos para comemorar. Nas ruas, vamos denunciar à população o desmonte da Petrobrás na Bahia, com a venda da Refinaria Landulpho Alves, símbolo da industrialização, e o fechamento de importantes campos de exploração de gás e petróleo que ainda estão em plena produção. A Fábrica de Fertilizantes (FAFEN-BA), em Camaçari, foi arrendada e a sede administrativa Torre Pituba, em Salvador, fechada. Centenas de pais e mães de famílias estão sendo transferidos para outros estados, em meio à pandemia e sendo obrigados a abandonar parentes. 

Repudiamos a saída da empresa do estado e a venda da RLAM, que foi construída com o suor e sangue dos petroleiros que superaram todos os desafios e construíram as bases para a industrialização nacional e baiana. A RLAM foi vendida a preço vil por menos da metade do preço.   

Defendemos o fim da política abusiva de preços dos combustíveis, denominada PPI, que encarece o gás de cozinha, a gasolina e o diesel e puxa a inflação. Queremos uma frente ampla com a participação dos trabalhadores, parlamentares, movimentos sociais e populares que atue em defesa da soberania e do patrimônio nacionais. 

Portanto, no dia 02 de outubro, a AEPET-BA vai estar na rua com suas bandeiras de lutas. Durante o ato todos devem usar máscaras. Nesse ato de protesto, pacífico, plural e democrático vamos reafirmar, ainda, que não estamos à venda, A entidade respeita a pluralidade de ideias, por isso queremos todos nas ruas defendendo que a maior empresa de petróleo do mundo, a Petrobrás, continue sendo pública e integrada.

A Petrobrás existe por causa da luta do povo brasileiro, que nos anos 50, foi às ruas na memorável campanha “O petróleo é nosso”. Para continuar existindo, é preciso que o povo vá novamente às ruas, defendendo a maior empresa do Brasil e da Bahia, mola propulsora de desenvolvimento deste país, a sua riqueza, o seu patrimônio.

POR DEMOCRACIA, CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA PETROBRÁS E CONTRA A SAÍDA DA PETROBRÁS NA BAHIA, TODOS ÀS RUAS, NO 2 DE OUTUBRO!