“Viva bem a idade que tem”. Esse foi o conselho dado pela assistente social e presidenta da Associação Nacional de Gerontologia (ANG), Marta Lopes Pontes, aos participantes do evento virtual com o tema “Saúde Emocional dos Aposentados e Pensionistas. Cuidar do corpo é cuidar da alma”, realizado pela AEPET-BA, na noite de quinta-feira (30/09). Participou também a bióloga e vice-presidente da ANG, Silene Chacra. A mediação foi da diretora de Comunicação, Érika Grisi.

Foram duas Lives na programação do Setembro Amarelo, mês que se intensificam as campanhas da prevenção ao suicídio. A primeira foi no dia 16/09 e contou com a participação da diretora do Centro Estadual de Referência do Trabalhador (Cesat), Leticia Nobre, a técnica do Cesat, Suerda Fortaleza e a assistente social, Andrea Machado.

Nesses eventos, foram debatidos temas relacionados à saúde mental dos ativos, aposentados e pensionistas da Petrobrás. Além dos impactos da pandemia e o distanciamento social, a categoria enfrenta o desmantelamento das unidades, na Bahia, provocado pela privatização fatiada. A partir de janeiro, a empresa começou a fazer descontos abusivos no plano de saúde AMS, abalando mais ainda a saúde emocional dos petroleiros, que se mostram preocupados com a difícil situação financeira que estão enfrentando. Daí a necessidade de debater o tema saúde mental, ainda considerado tabu, entre os trabalhadores.

Na Live do dia 30/09, foram debatidos temas como envelhecimento saudável, impactos da pandemia nos idosos, equilíbrio entre corpo e mente e o estatuto do idoso.

Mesmo com as dificuldades, na pandemia, muitos aposentados e pensionistas têm conseguido reagir as adversidades com resiliência. “Saúde emocional é a capacidade de controlar e gerenciar as adversidades da vida tão presentes no nosso cotidiano”, disse Marta, orientando a se readaptar, reinventar, resgatando os projetos de vida pós carreira na aposentadoria.

Por isso, as palestrantes aconselharam a ler livros, assistir filmes, fazer cursos, voltar para a Universidade, mantendo-se ativo. O importante, segundo elas, é levar uma vida saudável e fazer escolhas para tornar a vida mais feliz e prazerosa, mesmo em períodos de crise.

A especialista em envelhecimento humano, Silene Chacra, explicou a importância de ter a mente e o corpo equilibrados para poder vencer os obstáculos. Chamou a atenção para observar as escolhas nessa fase da vida que podem trazer desgosto e infelicidade. “Se está insatisfeito, depressivo, procure ajuda de um profissional, que vai lhe orientar”, disse ela.

Silene falou como é importante que os profissionais de saúde, cuidadores, familiares tenham uma atenção redobrada e atentem aos sinais de alerta dos idosos que apresentam depressão para acolhê-los e encaminhá-los.

Marta e Silene reconhecem que as pessoas têm dificuldades para aceitar o envelhecimento e por isso mesmo, é necessário procurar profissionais, como o médico geriatra, que poderão ajudar na prevenção e nos cuidados com a saúde.

Assista aqui a Live