CONVITE

Contra a saída da Petrobrás na Bahia, baianos fazem ato e caminhada no dia 29 de outubro

Os petroleiros – ativos, aposentados e anistiados – são contra a saída da Petrobras da Bahia e os aumentos abusivos dos preços dos combustíveis e gás de cozinha. Vários parlamentares, autoridades, movimentos sociais, centrais sindicais e outras organizações da sociedade civil apoiam este movimento.

É necessário barrar a saída da empresa da Bahia. Por isso, o Fórum Baiano em Defesa da Petrobrás convoca os baianos para o ato público, no próximo dia 29 de outubro, sexta-feira, a partir das 8h. O ato estava previsto, inicialmente, para o dia 22. Essa nova data, entretanto, vai ampliar a participação de entidades, parlamentares e movimentos sociais da Bahia, dada a necessidade de repercussão que o problema exige.

A concentração do ato será em frente ao prédio do Conjunto Pituba, que desde a década de 1970, abriga a sede administrativa da Petrobras, em Salvador, (ao lado do Parque da Cidade) e que agora está sendo desativada. De lá, sairemos em caminhada até o Ed. Suarez Trade, onde a Petrobrás alugou duas salas para colocar os empregados do administrativo em coworking.

Barrar o desmonte e a privatização da Petrobrás não é tarefa só dos petroleiros, que já vêm lutando para evitar a saída da empresa da Bahia e denunciando a política de preços altos dos combustíveis. A defesa da Petrobrás precisa ser feita por todos os baianos, porque é uma empresa pública estratégica para o desenvolvimento regional.

Retaliação

Desde que assumiu o governo, Bolsonaro faz de tudo para prejudicar a população nordestina, porque perdeu a eleição em todas as capitais do Nordeste. Inúmeras unidades estruturais da Petrobras já foram vendidas, como gasodutos, refinarias, poços terrestres, parques e tanques. Até fábricas de fertilizantes foram arrendadas.

Para os petroleiros – da ativa e aposentados – e as pensionistas, barrar a destruição da companhia é retomar empregos e preservar direitos como o plano de saúde AMS e o fundo de pensão Petros e até de preservação do Clube CEPE que além de servir de lazer para os associados, presta relevantes serviços a toda a sociedade abrigando importantes projetos sociais.

O povo da Bahia, protagonista na produção e no refino de petróleo brasileiro, não aceita a saída da Petrobrás do estado. É preciso manter a empresa na Bahia, gerando: desenvolvimento industrial, preços justos dos derivados, empregos e renda para a população.

Ataque ilegal aos direitos

Embora decisão favorável do Judiciário baiano para reduzir a margem consignável para 13%, a Petrobrás vai continuar com os descontos abusivos em novembro. Isso é inaceitável, diga não à essa política covarde da empresa que penaliza os que têm mais idade e menor renda.

A Petrobrás fechou o posto avançado da Petros, o que prejudicou os aposentados e as pensionistas e, agora, ameaça expulsar os petroleiros do CEPE-Stella Maris, local de lazer de milhares de trabalhadores e suas famílias, querendo a desocupação do imóvel.

Participe do ato, no dia 29. Vamos fazer um grande ato em Salvador, pela permanência da Petrobrás na Bahia. Durante o evento, mantenham os protocolos de segurança na pandemia (use máscara, álcool gel e adote comportamento seguro).

A Petrobrás não se vende. O petróleo é nosso.
Privatizar faz mal ao Brasil!