No sábado 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, os trabalhadores petroleiros voltam às ruas para protestar contra os aumentos dos combustíveis, do gás de cozinha e a saída da Petrobrás da Bahia.

O Fórum em Defesa da Petrobrás participará do protesto em Salvador, a partir das 13h, na praça do Campo Grande. Integram o Fórum: AEPET-BA, ASTAPE-BA, ABRASPET e Sindipetro-BA.

Bolsonaro está destruindo o país e a Petrobrás. O PPI está sendo usado pelo seu governo para prejudicar a já desgastada imagem da Petrobrás e facilitar a privatização. O presidente e seu ministro Paulo Guedes já anunciaram que estão discutindo com as lideranças do governo no Congresso Nacional a apresentação de um projeto de lei que autoriza a entregar ao mercado financeiro das ações da Petrobrás que ainda estão sob controle do Estado brasileiro.

A disparada dos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha é resultado da política de preços do governo Bolsonaro, que mantém o PPI atrelado ao dólar, sem levar em conta a função social da Petrobrás.

O consumidor já paga R$ 8,00 pelo litro da gasolina e mais de R$ 120,00 pelo gás de cozinha. Com isso, disparou também a inflação, aumentando os preços também dos produtos essenciais para a vida das famílias brasileiras.

Além do peso no bolso do trabalhador, a economia do país sofre com a desindustrialização, o desemprego e o aumento da fome.

Os petroleiros já vêm lutando para manter a Petrobrás na Bahia, para que continue gerando: desenvolvimento, preços justos dos derivados, empregos e renda para o povo. Mas a defesa da empresa precisa ser feita por todos os baianos e brasileiros, porque é estratégica para o desenvolvimento.

Por ter perdido a eleição em todas as capitais do Nordeste, o governo, Bolsonaro faz de tudo para prejudicar a população nordestina. Inúmeras unidades estruturais da Petrobras já foram vendidas, como gasodutos, refinarias, poços terrestres, parques e tanques. Até fábricas de fertilizantes foram arrendadas.

O povo da Bahia, protagonista na produção e no refino de petróleo brasileiro, se mobiliza para ter de volta tudo o que foi destruído pelo governo Bolsonaro. Essa luta é fundamental para combatermos as desigualdades e a pobreza em nosso estado.

Pela retomada da nossa Refinaria Landulpho Alves (RLAM) e de tudo que foi vendido da Petrobrás na Bahia e no Brasil.

Os petroleiros baianos unidos contra o racismo, contra as privatizações e pelo #forabolsonaro.

A BAHIA QUER A PETROBRÁS DE VOLTA!