Além do parlamentar, vão participar da Live os advogados Gilberto Bercovici e José Augusto Fontoura Costa, autores do livro Nacionalização: necessidades e possibilidades (Contracorrente). A iniciativa do evento on-line é da AEPET-BA

O Deputado Federal Paulo Ramos (PDT/RJ), que apresentou requerimento pedindo a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a venda dos ativos da Petrobrás, é o convidado do evento on-line programado pela AEPET-BA. A Live acontece na quarta-feira (01/12), às 19h, no canal do Youtube e na página do Facebook da entidade.

A mediação da Live será do presidente da AEPET-BA, Marcos André dos Santos.

Se for aprovada a CPI busca saber os impactos na fixação de preços dos derivados de petróleo no mercado brasileiro, inclusive a dolarização e paridade com os preços internacionais.

Publicamente, a AEPET parabenizou a iniciativa do parlamentar de criar a CPI.

Para justificar a CPI, o parlamentar usou as pesquisas do Observatório Social da Petrobrás que denuncia a venda dos ativos. Por exemplo, a venda de oito refinarias da Petrobrás, o que equivale à metade da capacidade nacional de refino de petróleo. “Entretanto, a venda de tais refinarias, realizada no atual e inapropriado momento de crise internacional, criará monopólios regionais no setor, pois são unidades de refino que não competem entre si. Como consequência, a população de algumas regiões no Brasil deverá se tornar refém dos adquirentes de tais unidades de refino, sem mencionar os impactos nos preços pela venda de outros importantes ativos da Petrobras”, justifica o pedido.

Os autores Gilberto Bercovici e José Augusto Fontoura Costa vão incrementar o debate falando sobre nacionalização ou a possibilidade de renacionalizar ou reestatizar certos setores estratégicos, como o setor de petróleo. A dilapidação da Petrobrás, empresa pública estratégica para o país, está no centro do debate, em especial, na Bahia. A Petrobrás vendeu ou arrendou as unidades da Bahia, o cenário é de terra arrasada.

 Leia aqui o requerimento da CPI da Petrobrás

 Participe e compartilhe esta informação.