Petroleiros baianos apoiam a iniciativa inédita de criação do Fórum Permanente de Reconstrução da Petrobrás no Brasil e na Bahia e já foram dados os primeiros passos. Em reunião virtual, na segunda-feira (09/05), com a presença de trabalhadores e de representantes de entidades dos petroleiros, foram definidos os objetivos do Fórum.

O lançamento do Fórum deverá acontecer no início de junho, em um grande ato público. É urgente a participação e mobilização dos petroleiros, agora que o governo Bolsonaro ameaça privatizar a Petrobrás e o pré-sal.

A proposta partiu das entidades que integram o Fórum Baiano em Defesa da Petrobrás, Petros e AMS que viram a necessidade de ampliar as estratégias e ações que barrem as privatizações das estatais, em especial, da Petrobrás. Integram o Fórum Baiano: AEPET-BA, ASTAPE e ABRASPET.

Os presentes à reunião manifestaram preocupação com a saída da Petrobrás da Bahia e a venda dos ativos a petrolíferas internacionais, como por exemplo, a Refinaria Landulpho Alves que foi vendida ao fundo árabe Mubadala. Outros ativos foram adquiridos pela argentina 3R Petroleum, inclusive os campos terrestres vendidos recentemente pela Petrobrás.

O campo de Candeias, com o poço Candeias 1, o primeiro campo comercial, na Bahia, que completou 80 anos de funcionamento em dezembro do ano passado, acabou sendo entregue para a 3R Petroleum. A nova configuração comercial na Bahia está provocando fortes impactos na economia. Os baianos estão pagando os combustíveis mais caros em comparação aos outros estados, devido à venda da RLAM, que criou um monopólio regional

Foi acertado que será elaborado um documento com todas as propostas do Fórum que será divulgada a sociedade para buscar apoio na luta pela defesa das empresas públicas. Outras iniciativas estão sendo debatidas pelos petroleiros.

O Fórum conclama a todos os petroleiros para que participem da próxima reunião que acontecerá na segunda-feira, dia 23 de maio, às 19h, pela plataforma Zoom.

Privatização do pré-sal

O Fórum Permanente da Petrobrás terá um importante papel, muito mais agora que o governo Bolsonaro ameaça privatizar a Petrobrás e o pré-sal. A primeira atividade do novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, foi entregar ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um pedido formal para que sejam realizados estudos sobre uma possível privatização da Petrobrás e da Pré-Sal Petróleo (PPSA), nesta quinta-feira (12/05).

Na sua primeira declaração à imprensa, após assumir como ministro, Sachsida teria dito que esse seria seu primeiro ato no comando da pasta. Guedes, por sua vez, declarou que encaminhará a solicitação para a Secretaria Especial do Programa de Parceiras para Investimentos (PPI).