Compartilhe

 

O setor de petróleo e gás é, sem dúvida, um dos mais importantes da indústria mundial. O petróleo é uma das principais fontes de energia e matéria-prima para a sociedade e para a produção industrial. O gás, por sua vez, é a segunda matriz energética do país, presente não só nos transportes, nas residências, nos comércios, como também nas indústrias.

A Bahia tem destaque na história da exploração desses produtos no Brasil, sendo reconhecido como o berço da indústria de petróleo e gás no país. Mas, apesar do segmento ter sido de fundamental relevância para o desenvolvimento industrial e econômico do estado, nos últimos 10 anos é possível observar a perda de relevância, com negócios reduzindo-se aos mais baixos níveis históricos.

No artigo ‘Breve análise da indústria de petróleo e gás no estado da Bahia’, escrito pela pesquisadora e mestranda, Claudiane Barbosa de Jesus, do Grupo de Pesquisa de Estudos em Economia de Energia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), é apresentado um panorama do atual cenário do segmento, em especial a atuação da Petrobrás no desenvolvimento da economia baiana. O grupo é colaborador da AEPET-BA.

A pesquisadora observa que se ao longo dos anos 1940-1990, este setor foi fundamental para o desenvolvimento econômico e social do estado, na última década, pode-se se observar uma perda de protagonismo que se aprofunda a partir de 2014 com adoção da política de desinvestimento na região Nordeste adotada pela Petrobrás. “A adoção dessa política causou efeitos imensuráveis no estado baiano, não contidas no presente relatório que se limita a tratar da questão de produção, reservas e empregos. Mas vale ressaltar que os efeitos podem ser observados na queda da redução de royalties, ICMS, aumento de preço de combustíveis e gás com a venda da RLAM, entre outros”.

Leia na integra o estudo

Relatório Claudiane AEPET ago 23


Compartilhe